31/07/2009

Kasinski, sob nova direção

A CR Zongshen chega ao Brasil e uma das primeiras estratégias foi negociar com o corintiano (roxo) Abraham Kasinski: "E aí, vai vender a Kasinski?".

Zongshen
Kasinski, plástica no logotipo!


A chinesa Zongshen uniu forças com a brasileira CR Motors, cada um com 50% do capital, e criaram a CR Zongshen para fabricarem e comercializarem inicialmente sete novas motos no mercado nacional, todas de baixa cilindrada. Mas, como a intenção é ser uma das maiores fabricantes de motos do mundo, negociaram com o senhor Kasinski a Kasinski e, pelos cálculos, acho que valeu a pena aposentar as chuteiras corintianas, mas com uma justa homenagem - ao grande empresário Abraham Kasinski (90 anos), criador da Cofap -, manter o nome Kasinski nas motocicletas que levam justamente o seu nome.

Um parenteses, o senhor Abraham Kasinski num jogo entre São Paulo e Palmeiras entrou na torcida do Porco e quando o São Paulo fez um gol, comemorou, mas alertou aos torcedores (já putos com ele) que não era são-paulino e sim corintiano, resultado: levou muita porrada!

De volta ao texto e por falar em porrada, como as motos da Kasinski têm muitas peças da coreana Hyosung, inclusive motor, a CR Zongshen teve que firmar parceria com a sua inimiga asiática para continuar com a linha 2010 (que já está nas concessionárias).

Kasinski GTR 2010
Kasinski GTR EFI Dual Tone - 29,2cv a 10.500rpm - R$18.490,00


A idéia da CR Zongshen ao comprar a Kasinski foi completar a gama de motos, vez que une as motocicletas de baixa cilindrada da primeira com as 250 e 650 cc da segunda. Abrange uma maior categoria de motociclistas e já chega com rede de concessionárias instaladas.

A fábrica em Manaus produzirá todas as peças para montar as motos e os sete novos modelos serão apresentados no Salão Duas Rodas em outubro (dias 7 e 12).

Quem sabe as Comet GTR e Mirage não fiquem mais baratos até o surgimento de todos esses produtos ou será que o novo slogan da empresa já é um sinal de que as preços não vão melhorar? "Kasinski: Valoriza a sua vida!"


LEIA TAMBÉM

5 comentários

Daniel

Então o boato de que a Zongshen compraria uma marca nacional se confirmaram, só que na Kasinski. Tinha um boato que dizia que a Zong compraria a Dafra e a Sundown, mas pelo jeito, não se confirma dessa forma. Que os consumidores da Kainski não fiquem sem peças de reposição para suas motos.

Luiz Antonio

Eu acho que a Kasinski tem tudo para chegar a voos mais altos. Ela esta pensando grande, espero que suas atitudes, tambem sejam neste sentido. O mercado de motos não só no Brasil, mas no mundo, vem crescendo muito, e esta é a real oportunidade da Marca dizer ao público, por que veio! Tem produtos de qualidade como as Mirage 250 e 650, além das Comets (Todas). Se ela aliar a isto um bom preço de venda, poderá competir de igual para igual com todas as outras fabricantes. Eu sou um admirador da marca, e assim que puder comprarei a minha: Mirage 650 efi. Simplesmente "Linda". No que diz respeito a possíveis problemas enfrentados por consumidores, como a Revista 02 rodas relata na Mirage 250, ao relatar peças soltas ou mal encaixadas, isto é algo que dá para rapidamente ser sanado pela empresa já na linha de produção, reciclagem do pessoal de produção, palestras de orientação, cursos periodicos, etc... No mais a Revista elogiou e muito a pequena grande estradeira. Quanto as motos menores atuais, não conheço muito, mas parecem ser de boa qualidade. As que estão por vir, as famosas chinesas, aí vai ser uma questão de tempo, para podermos emitir uma avaliação mais correta. Vai Kasinski, Motos neles!!!!!!Até..........!

Papito

Tenho acompanhado a SAGA KASINSKI desde sua primeira moto, e estou ancioso para ver o balanço no final do ano, estou certo que teremos boas surpresas!
Agora resta aos empresarios desta grande e gloriosa MARCA desenvolverem uma politica de preços mais razoaveis e competitivos, já que o preço final ainda continua salgado e muito próximo aos praticados pela honda e yamaha, o que faz com que a maioria dos compradores em potencial saiam direto da concecionária Kasinski e caiam nas garras cruéis das marcas citadas acima, que usam do artificio de confiabilidade pelo tempo de comercialização...oras...é dado o momento de abrirmos na cabeça e o mercado para novas oportunidades de negócios...contanto que respeitem o PÓS-VENDAS...que foi o maior ponto de descontamento dos proprietários destas maravilhosas motos Kasinski/CR Zongshen Benção de Deus e Sucesso a voces e a todos nós!!!

Anônimo

Infelizmente ainda hoje a marca Kasinski tem muitos "arranhões" por conta dos vários eventos e depoimentos de donos que se sentiram lesados ao enfrentarem dias (e até meses) de espera pelo conserto de suas motos que ficam "empoeirando" nas oficinas das concessionárias. Após pesquisar fiz uma "escolha técnica" e comprei uma GT 250 (naked).

Decidi por ela não pensando na marca Kasinski mas sim em Hyosung, apesar de muitos brasileiros acharem que o mundo só tem Honda e Yamaha.

Só que, para se cumprir a profecia, após 30 dias da compra ainda não pude acelerar a motoca porque a concessionária não recebeu a moto para me entregar (não há de citar aqui quem é o responsável pelo atrazo, se a cc ou a fábrica).

Conclusão: se pesquisar por defeitos apresentados, dias na oficina, demora em peças e outros descasos com o consumidor, não dá para decidir por nenhuma marca que se vende por aqui. Mas se olhar para "a moto" (potência, acessórios, estética...) dá para ficar indeciso entre uma CB 300 R e uma GT 250... Daí olhei o preço e decidi pela Comet GT 250. Espero não ficar "me xingando" por isso...

Israel Ferreira Da Silva

Estou no Rio de Janeiro. Como posso encontrar essa moto?

Postar um comentário

>> O espaço está aberto para o seu comentário, mas não serão tolerados os de cunho preconceituoso, criminoso ou palavrões;
>> Evite o anonimato, afinal, todo mundo tem um nome. Deixe seu nome comentando com a opção "Nome/URL" (o espaço URL não é obrigatório).